sábado, 24 de maio de 2008

DIÁRIO 1998 - 2002 (O MUNDO EM PÁGINAS DE MEMÓRIAS)

Vasculhando meu quarto atrás de uma pinça, achei meu diário do ano de 1998 até 2002, sentei na cama e comecei a folhar aquelas páginas já com um pouco de tempo sem serem tocadas. Faz exatamente dez anos que tinha começado a escrever sobre aquele presente e sobre o futuro que cai bem nos dias de hoje, as lembranças daquela época não muito distante entram pela porta da minha mente e me reflete a tanta coisa do que eu pensava, do que eu era e que hoje talvez eu veja como é engraçada a vida e o que ela nos proporciona de conhecimento, amadurecimento e tantas outras qualidades e desafios a serem superados. Lá em 98 quando comecei a escreve-lo tinha tanta coisa pra mostrar, pra passar, que quando acabei de escreve-lo em 2002 acabei também por esquece-lo e ficou ali por seis anos até que eu encontrasse agora em 2008 me trazendo com ele, amores, paixões avassaladoras, perdas, amigos que fiz naquela época que hoje já não existem mais no meu cotidiano e outros que ainda posso contar, são exatos dez anos que passei e trago comigo nessa bagagem a estrutura de um pássaro raro que alçou vôo entre brisas e tempestades e que hoje me fazem refletir. Passou João e Maria cortando pedaços de pão para não perderem o caminho, passou Alice com seus cogumelos alucinantes e seu mundo das maravilhas, Chapeuzinho enfrentando o Lobo Mau e tantas outras histórias de fazer eu me sentir um herói de desenho animado que está a beira de completar cem anos de aventuras. Antes, naquela época era um adolescente que amava Atração Fatal, Uma Linda Mulher, O Silêncio dos Inocentes, Deby e Loyde e tantas outras coisas que me faziam rir, chorar, querer ter alguém... Hoje sou um homem que admiro meu passado entre 1998 á 2002, tudo naquela época tinha um gosto de chiclet bubballo sabor tutti frutti, tive mulheres e homens que por mais que não os veja hoje sei que fizeram parte desse meu encantamento pela vida, às vezes dá uma vontade de voltar a ser rebelde ou responsável demais, hoje tudo é muito equilibrado demais, acho que já com meus vinte e sete anos estou precisando partir para um novo diário, talvez eu o faça e quem sabe esqueça em uma gaveta e talvez eu o ache nos meus trinta e sete anos e daí relembre exatamente o que eu fazia á dez anos atrás quando eu era apenas, um menino que vendia livros.

2 comentários:

murilogussi disse...

Fico impressionado com sua capacidade de transformar palavras em algo que as pessoas sensíveis não somente leêm, mas também sintem ...
Fico impressionado com sua capacidade de transformar sentimentos em palavras..
Acima de tudo fico muito impressionado que esse menino com mente e corpo de homem se transformou num verdadeiro filósofo para alguns, um mero escritor de contos para outros, mas para mim sempre será um verdadeiro, talentoso e querido amigo.
Parabéns, muito lindo mesmo.
Musly

Felicio Bianchini disse...

Obrigado meu querido e grandioso amigo Murilo, amo muito vc e valeu pela força, bjosss