terça-feira, 14 de agosto de 2007

GAROTO PRODIGIO

Hoje desci do ônibus e sai em direção ao centro, pessoas maquiadas, até vi alguns homens de peruca, salto alto, mulheres de botina, axei tudo muito estranho, olhavam pra mim com ar de felicidade, alegria, tinham nos olhos além do rimel um ar de paz.
Fui logo em direção a casa da minha tia, nunca tinha ido a São Paulo, depois de muito tempo de vida pisei na terra da garoa, era domingo e tinha muita gente na avenida, pessoas travestidas em pleno meio de ano, o carnaval ja tinha acabado a mêses, juro que fiquei sem entender. Bem, está certo que do lugar que vim jamais tinha visto nada igual na minha vida, uma festa abrangente cheia de colorido homens e mulheres se beijando na rua, nossa confesso que pra mim foi horrível aquelas cenas, tinha até homem com homem e visse versa, fiquei totalmente chocado, mas gostei de chegar em São Paulo e ver que me recebiam com alegria sem me desrespeitar, isso porque do lugar que venho muito pouco eu tenho pra mostrar ou ficar alegre assim, não que eu seja uma pessoa triste, não é isso mas é que tudo lá é tão cinza, o verde das matas nunca me deram um mínimo de esperança, quando vi aquelas cores...percebi como a vida é boa, como é bom aproveitar ao máximo minhas mãos calejadas do canavial para coloca-las pra cima e me unir aqueles que festejam o bem.
Cheguei na casa da minha tia bem depois do previsto, ja era tarde e ela estava em prantos querendo saber aonde eu estava, que eu não devia ter demorado, ligou até para os meus pais no interior...bem melhor seria se não contasse, o escândalo teria sido menor com certeza.
Meu primeiro dia na capital das capitais tinha sido totalmente colorido, me deu a vontade de nunca mais voltar a ver cabos de enxada ou o verde das falsas esperanças, nunca mais tive vontade de voltar, descobri que minha vida tinha que ser colorida e menos sofrida, tinha que fazer valer a pena e nunca mais voltei, hoje meus pais vem me visitar, sou formado em engenharia civil e terminei um grande túnel no centro dessa grande metrópole, esses dias.

Um comentário:

Marcos Paulo Rocha disse...

e daqui a um tempo vai sentir saudade da enxada e do verde. eu sentiria
abs!